cartaz da mostra

cartaz da mostra

Quem gosta de quadrinhos, não pode perder a oportunidade de conhecer mais sobre a atual produção de HQs na França. A mostra de Quadrinhos Itinerantes Francofônicos foi aberta ao público no dia 24 de outubro na Mediateca da Aliança Francesa (708 / 907 Sul). Na ocasião da abertura, o quadrinista Túllio Caetano fez uma palestra sobre os grandes nomes dos quadrinhos franceses contemporâneos e sobre o mercado literário que movimenta muita grana naquele país. Túlio Caetano é o curador da mostra, morou dez anos na França e trouxe de lá mais de 400 obras, dos mais variados estilos. A idéia é que este acervo viaje para outras unidades da Aliança Francesa espalhadas pelo Brasil. Aqui em Brasília, a mostra fica até o dia 19 de novembro de 2008 e funciona de segunda a sexta, das 8h às 20h30 e no sábado das 9h30 às 12h30. Lembrete: não é necessário ler francês para apreciar as obras e as instalações da Mediateca são bem confortáveis.

 

Palestra ministrada por Túlio Caetano

Palestra ministrada por Túlio Caetano

 

Túlio Caetano lançou recentemente o álbum Dr. Bubbles & Tilt pela Zarabatana Books e é altamente recomendável.

Anúncios

Las Luchas Locas

outubro 25, 2008

Infernala esquentando o hambiente

Infernala esquentando o ambiente

O bom de fuçar no myspace é encontrar gente doida do mundo todo. Eu, que gosto da estética de los mascarados mexicanos, mas não tenho muita paciência pra ver as lutas/coreografias dos pançudos, me deparei com essas minas cascudas. Luchas locas são mulheres mascaradas dos States que caem na porrada. É meio tosco e meio putaria, do jeito que eu gosto. Mais um fetiche pra coleção.

 

 

Além de vários vídeos no You Tube, tem também esse clipe maneiro que elas fizeram com o Fishbone.

 

 
 
 

 

 

Departamento de Arte

outubro 24, 2008

Diabinhos dando idéias para o trabalho de Gabriel Góes

Diabinhos dando idéias para o trabalho de Gabriel Góes

Ontem a tarde eu passei no Correio Braziliense pra deixar uns livros do “Grosseria Refinada” pra divulgação. Pedi pro jornalista Pedro Brant me levar até o departamento de arte do jornal. Ali simplesmente estavam os monstros: Caio Gomez, Gabriel Góes, Kleber Sales e Maurenilson. Passei alguns minutos agradáveis na companhia desses talentosos ilustradores. Achei que lá fosse mó loucura, correria e barulheira, mas pelo menos na hora em que eu passei lá, estava tudo bem calmo. Vi o Gabriel Góes trabalhando o original da imagem acima que foi publicada hoje e faz referência ao seqüestrador filho da puta de Santo André. Abaixo estão uns links pra dar um confere nos trabalhos dos caras.

 

http://www.flickr.com/photos/12588052@N06/

http://www.flickr.com/photos/7childrensbar/

http://www.flickr.com/photos/klebersales/

http://www.flickr.com/photos/maurenilson/

Bagaceira HC

outubro 20, 2008

Cartaz do evento no mural de avisos

Cartaz do evento no mural de avisos

Leio em alguns blogs de rock sobre a falta de público nos shows do DF e isso é um fato. Contrariando as expectativas, na noite sexta-feira do dia 17 de outubro, o público do hardcore brasiliense deu as caras no evento apropriadamente batizado de bagaceira. Não estou dizendo que abarrotou, e que está longe de ser aquela cena forte de alguns anos atrás, mas foi bom assistir a bons shows de hc com um público presente e participativo. No meu não muito confiável olhometro, calculei que mais de trezentos jovens pagaram ingressos e só alguns tolos ficaram de fora. E pra quem diz que em show de som extremo não vai mulher, afirmo que tinha várias mocinhas cheirosas e tatuadas na platéia.

  Quando entrei no Blackout Bar, o Inoccent Kids e Os Corruptos já haviam tocado e o Podrera estava de final. O Macakongs 2099 demorou de 40 minutos à uma hora para passar o som. Mais metal do que nunca, o Macaca está irreconhecível. Foi bonito ouvir o público cantar “Evil Elvis” em coro”. Fredvan foi destaque com suas baquetas serelepes.

 

Com 15 anos de barulho nas costas, os adolescentes do DFC fizeram mais uma apresentação primorosa, mostrando que a banda é uma das melhores do gênero no Brasil e que janta muita banda gringa por aí. O público respondeu com muita roda e bonitos stage dives, com direito a final apoteótico no clássico molecada 666.

DFC comandando a dança no salão.

DFC comandando a dança no salão.

 Tarefa ingrata é tocar depois do DFC. O público já começava a rarear e eram quase duas da manhã quando o Disforme subiu no palco. Marcelo, que também toca batera no Podrera, cumpria jornada dupla na banda. Destaque para o forte vocal feminino. Acho que o PPC tocou depois, mas eu não vi.

 

Fiquei feliz que a produção do Ronan deu certo e espero que este público renovado continue a prestigiar as bandas do Distrito Federal e entorno.

OVNIs na Esplanada

outubro 20, 2008

No fim da tarde do dia 14 de outubro de 2008, Objetos Voadores Não Identificados foram avistados e filmados na Esplanada dos Ministérios. Não digo que é verdade e nem que é caô, mas achei o bagulho estranho. Em alguns comentários no You Tube, citam que as luzes formam o mapa do Brasil. Berma, ufólogo amador e simpatizante dos ETs, bota fé. Só sei que, se os ETs foram procurar vida inteligente perto do Congresso e dos Ministérios, realmente perderam viagem.

Dia 1° de novembro vai rolar um evento bacana em São Sebastião. Mostra de filmes, palestras e shows. Quem tá agilizando este esquema é o Moab e a Simone do Tupanzine com a ong ISCA e a comunidade de São Sebastião. Eu sinto um pouco responsável por este evento, afinal eu escolhi uns filmes, vou fazer uma palestra com o Frango Kaos (bizarro, né?) e ainda vou tocar com o Quebraqueixo. Apareçam!

 

Gibis nas escolas

outubro 13, 2008

No ano que vem os estudantes do ensino médio e fundamental vão encontrar vários gibis novinhos nas bibliotecas das escolas públicas. O Ministério da Educação, através do PNBE (Programa Nacional Biblioteca da Escola) escolheu alguns títulos de quadrinhos dentre as 600 obras que serão compradas. Além de graphic novels de Will Eisner, a molecada poderá ler autores nacionais do primeiro escalão como: Ziraldo, Laerte, Fernando Gonsales, Spacca, Fábio Moon e Gabriel Bá. As adaptações de obras literárias (uma tendência do mercado) não ficarão de fora e serão representadas pelo “O Alienista” dos Gêmeos, “Beijo no Asfalto” de Arnaldo Branco e Gabriel Góes e a coletânea de contos “Domínio Público”.

 

Os quadrinhos possuem grande potencial como instrumento didático e pedagógico, formando novos leitores, e quem sabe, novos talentos. No meu tempo, gibi só escondido nas aulas de matemática.  

Sinestro é sinistro!

outubro 9, 2008

 

Sinestro faz parte da galeria dos grandes vilões dos quadrinhos. Ele foi um respeitável Lanterna Verde até se deixar levar para o caminho do mal. Seu maior inimigo é o terráqueo Hal Jordan, conhecido como o maior Lanterna Verde de todos os tempos. Sinestro saiu de seu exílio em um universo de antimatéria e está de volta, espalhando o medo pela galáxia.

O que me chama a atenção na revista “Dimensão DC: Lanterna Verde” é o primeiro capítulo da história “A Guerra dos Anéis”, desenhada por Ivan Reis. Essa série rendeu ao desenhista brasileiro o título de melhor desenhista do ano passado pela revista norte-america Wizard e também foi homenageado no 20° troféu HQMIX de 2008.

Eu tive a sorte de assistir uma aula teórica com o Ivan Reis no curso de férias da Academia Quanta de Artes em São Paulo esse ano. Como sou pidão, saí de lá com um desenho da Mulher Maravilha feita pelo artista.

Ivan Reis na Quanta 2008 - SP

Ivan Reis na Quanta 2008 - SP

 

Comecei a ler gibis igual a quase todo mundo, muitos clássicos da Disney e Turma da Mônica. É nesse ponto que muita gente pára de ler quadrinhos por considerar coisa de criança. Eu avancei, com 10 ou 11 passei a consumir a revista MAD. Lia um pouco de DC Comics e Marvel, mas nunca fui muito fã de super-heróis. Com uns 15 anos conheci os quadrinhos, ou melhor, banda desenhada européia através da Editora Meribérica e L&PM. Começaram a aparecer nas bancas, publicações alternativas como “Porrada” e “Abutre”, além das revistas “Chiclete com Banana” e “Piratas do Tiête” que consagrariam Angeli, Laerte e tantos outros. A saudosa “Animal” faz falta. Considero os quadrinhos nacionais um dos melhores do mundo, pena que nem no Brasil eles tenham o devido reconhecimento.

Abaixo estão algumas das fotos que tirei com grandes artistas. Minha coleção de quadrinhos autografada é fodona, mas eu quero muito mais. 

Mutarelli na FNAC 2006 - DF

Mutarelli na FNAC 2006 - DF

O primeiro autógrafo que ganhei de um autor de HQ foi o do Lourenço Mutarelli. Eu estava na 2° Bienal de Internacional de Quadrinhos em novembro de 1993 no Rio de Janeiro. O cara assinou pra mim uma cópia do raro “Desgraçados”. Treze anos depois, levo este mesmo exemplar para ele reautografar numa palestra que ele fez no CCBB. Também o encontrei num evento da FNAC e mais recentemente na 20° Bienal do Livro de SP.

 

 
Fernando Gonsales na FNAC 2006 - DF

Fernando Gonsales na FNAC 2006 - DF

 Fernando Gonsales é um cara muito calmo e simpático. A primeira vez que o encontrei foi num evento mal divulgado no Conjunto Nacional. Ele assinou alguns gibis antigos do Níquel Náusea e eu o presenteei com meu singelo fanzine do Makacomics. Tiramos um foto que eu publiquei no livro “Esfolado Ouvidos”. Dei o livro pra ele num evento da FNAC, ele parece que não ficou puto, até agora não fui processado. Encontrei com ele recentemente na entrega do Troféu HQMIX de 2008 em São Paulo. 

Jodorowsky na FNAC 2007 - DF

Jodorowsky na FNAC 2007 - DF

 Jodorowsky é um velhote muito louco. Ele esteve em Brasília em dezembro de 2007. Fui nas palestras do CCBB e da FNAC. Agora só falta o Moebuis aparecer por aqui também pra assinar meus livros do Incal. 

Ziraldo na Bienal do Livro 2008 - SP

Ziraldo na Bienal do Livro 2008 - SP

Falando em velhinhos maluquinhos, este ano trombei duas vezes com o Ziraldo, uma na Bienal do Livro de São Paulo e outra na Feira do Livro de Brasília. Pra falar com o cara tem que agüentar filas quilométricas, mas vale a pena. 

Marcelo Campos na Quanta 2008 - SP

Marcelo Campos na Quanta 2008 - SP

 Marcelo Campos é um dos donos da Quanta, também é o criador do personagem Quebra-Queixo. Qualquer semelhança com a banda Quebraqueixo é mera coincidência.

 

 

 

 

 

Marcelo Campos na Quanta 2008 - SP

Marcelo Campos na Quanta 2008 - SP

 Marcelo Campos é um dos donos da Quanta, também é o criador do personagem Quebra-Queixo. Qualquer semelhança com a banda Quebraqueixo é mera coincidência.

 

 

 

 

 

Ziraldo na Bienal do Livro 2008 - SP

Ziraldo na Bienal do Livro 2008 - SP

Falando em velhinhos maluquinhos, este ano trombei duas vezes com o Ziraldo, uma na Bienal do Livro de São Paulo e outra na Feira do Livro de Brasília. Pra falar com o cara tem que agüentar filas quilométricas, mas vale a pena. 

Marcelo Campos na Quanta 2008 - SP

Marcelo Campos na Quanta 2008 - SP

 Marcelo Campos é um dos donos da Quanta, também é o criador do personagem Quebra-Queixo. Qualquer semelhança com a banda Quebraqueixo é mera coincidência.

 

 

 

 

 

Marcelo Campos na Quanta 2008 - SP

Marcelo Campos na Quanta 2008 - SP

 Marcelo Campos é um dos donos da Quanta, também é o criador do personagem Quebra-Queixo. Qualquer semelhança com a banda Quebraqueixo é mera coincidência.

 

 

 

 

 

Fernando Gonsales na FNAC 2006 - DF

Fernando Gonsales na FNAC 2006 - DF

 Fernando Gonsales é um cara muito calmo e simpático. A primeira vez que o encontrei foi num evento mal divulgado no Conjunto Nacional. Ele assinou alguns gibis antigos do Níquel Náusea e eu o presenteei com meu singelo fanzine do Makacomics. Tiramos um foto que eu publiquei no livro “Esfolado Ouvidos”. Dei o livro pra ele num evento da FNAC, ele parece que não ficou puto, até agora não fui processado. Encontrei com ele recentemente na entrega do Troféu HQMIX de 2008 em São Paulo. 

Jodorowsky na FNAC 2007 - DF

Jodorowsky na FNAC 2007 - DF

 Jodorowsky é um velhote muito louco. Ele esteve em Brasília em dezembro de 2007. Fui nas palestras do CCBB e da FNAC. Agora só falta o Moebuis aparecer por aqui também pra assinar meus livros do Incal. 

Ziraldo na Bienal do Livro 2008 - SP

Ziraldo na Bienal do Livro 2008 - SP

Falando em velhinhos maluquinhos, este ano trombei duas vezes com o Ziraldo, uma na Bienal do Livro de São Paulo e outra na Feira do Livro de Brasília. Pra falar com o cara tem que agüentar filas quilométricas, mas vale a pena. 

Marcelo Campos na Quanta 2008 - SP

Marcelo Campos na Quanta 2008 - SP

 Marcelo Campos é um dos donos da Quanta, também é o criador do personagem Quebra-Queixo. Qualquer semelhança com a banda Quebraqueixo é mera coincidência.

 

 

 

 

 

Marcelo Campos na Quanta 2008 - SP

Marcelo Campos na Quanta 2008 - SP

 Marcelo Campos é um dos donos da Quanta, também é o criador do personagem Quebra-Queixo. Qualquer semelhança com a banda Quebraqueixo é mera coincidência.

 

 

 

 

 

Ziraldo na Bienal do Livro 2008 - SP

Ziraldo na Bienal do Livro 2008 - SP

Falando em velhinhos maluquinhos, este ano trombei duas vezes com o Ziraldo, uma na Bienal do Livro de São Paulo e outra na Feira do Livro de Brasília. Pra falar com o cara tem que agüentar filas quilométricas, mas vale a pena. 

Marcelo Campos na Quanta 2008 - SP

Marcelo Campos na Quanta 2008 - SP

 Marcelo Campos é um dos donos da Quanta, também é o criador do personagem Quebra-Queixo. Qualquer semelhança com a banda Quebraqueixo é mera coincidência.

 

 

 

 

 

Marcelo Campos na Quanta 2008 - SP

Marcelo Campos na Quanta 2008 - SP

 Marcelo Campos é um dos donos da Quanta, também é o criador do personagem Quebra-Queixo. Qualquer semelhança com a banda Quebraqueixo é mera coincidência.

 

 

 

 

 

Gualberto Costa na HQMIX 2008 - SP

Gualberto Costa na HQMIX 2008 - SP

E fecho essa primeira parte com o figuraça Gualberto Costa, pessoa agradabilíssima que sempre me recebe muito bem toda vez que apareço na livraria HQMIX.

 

 

Aguardem o “Esfolando atrizes do pornô nacional” com fotos reveladoras!