SEM PENA DO GALINHA PRETA

novembro 26, 2009

Cartaz do filme.

Só pode ter sido macumba ou praga de crente! Tirei uma onda escrota com essa parada do filme d’O Galinha Preta e meio que quebrei a cara. No domingo passado (22/11), o Cine Brasília estava cheio até a tampa, mó expectativa pra ver o filme e o filme não passou. Os produtores alegaram que não conseguiram terminar a parte do áudio. Com o anúncio do cancelamento da sessão, mais da metade da platéia deixou o cinema revoltada e não assistiram aos curtas. No lado de fora, vi boa parte do elenco do Galinha reunido tentando saber o que tinha acontecido, mas o estrago já estava feito. Algumas horas depois, surge a notícia de que o filme seria exibido na segunda-feira às 17h. Eu reconvidei alguns amigos, mas não dei garantia de que ele passaria realmente. Umas 200 pessoas vieram pra sessão, o que foi até bastante se considerarmos o dia e hora ruins. Eu já tinha visto duas versões do filme e sabia mais ou menos os defeitos e qualidades, as novidades foram as animações dos créditos iniciais e a trilha sonora mais encorpada (a música “Conto do Vigário” do Quebraqueixo toca nos créditos finais). Apesar do áudio apresentar problemas e as promessas da diretora Cibele Amaral em fazer alguns ajustes na narrativa, senti que o filme agradou quem assistiu. Foi feio pra caralho o filme não ter sido exibido no domingo e a sensação era de que O Galinha Preta perdeu o timing que estava rolando no Festival, mas pelo menos ele desentalou. Pra quem não viu, agora só em 2010 nos cinemas ou na feirinha del Paraguay mais perto de você!

 

ESFOLANDO O CINEMA NACIONAL

 Eu nunca fui muito de freqüentar o Festival de Brasília do Cinema Nacional, principalmente por não curtir muito os filmes brasileiros. Por conta do ataque planejado pela crew da Revista Samba e do Esfolando Empreendimentos de montar um camelô durante o evento, acabei indo a todos os dias do FBCB. No primeiro dia, eu, o LTG e o Gabriel Góes chegamos cedo pra garantir nosso lugar ao lado da bilheteria. Depois que nós arrumamos as mesas e colamos os cartazes, veio um tiozinho e seguranças para nos expulsar do local. Fizemos duas mudanças até descolarmos um lugar maneiríssimo no lounge da praça de alimentação. Durante os seis dias, nós perturbamos e fomos perturbados pelos freqüentadores. Quem deu uma força legal pro estande foi o Pedro das camisetas “Nem Um Nem Outro” e de vez em quando, Gabriel Mesquita aparecia antes de cair na cadência do samba. O saldo foi altamente positivo: rimos bastante, conhecemos várias gatas e colocamos algum dinheiro no bolso. Pra provar que somos chiques, saiu até nossa foto e entrevista no  Correio Braziliense.

 

 

Anúncios

Uma resposta to “SEM PENA DO GALINHA PRETA”

  1. Joao Pedro said

    Queria muito ver esse filme. Era pra eu ter ido na seção que nao passou, masacabei desistindo. Parece que está massa.
    Cara, valeu pelas fotos do LQ, postei a entrevista com eles no meu blog, da uma olhada
    http://vidahc.blogspot.com/2009/11/entrevista-com-o-little-quail.html
    Abraçao

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: