FIM-DE-SEMANA FRENÉTICO! ESFOLANDO O LIVING COLOUR

maio 18, 2010

           Brasília tem umas coisas estranhas, tipo um fim-de-semana sem porra nenhuma rolando e no outro, tumulto total. Entre sexta e domingo, nada menos que quatro atrações internacionais desembarcaram na cidade. Foi difícil (e prazeroso) acompanhar essa bendita invasão dos gringos, mas valeu. Sabe-se lá quando eles baixarão aqui novamente!

 

          Começamos bem com o Living Colour na sexta-feira. Tava meio na cara que esse show não ia bombar forte. Pouca divulgação e ingressos salgados para uma banda, que apesar de ser da melhor qualidade, está afastada da mídia e da moda. Acho que só umas 600 pessoas compareceram no evento, dando indícios que foi mó prejú. Esse lance de fazer área vip com open bar foi uma grande roubada, se não houvesse a segregação de público, o ingresso seria mais barato e mais gente iria. E o open bar é uma coisa estúpida, o que mais se via era idiotas fazendo chuva de cerveja, duvido que se eles estivessem pagando, não fariam isso.

 

          Vamos ao show! Passava da 1h da manhã quando o quarteto subiu ao palco para duas horas de um show eletrizante. Eu estava com a impressão de que iria rolar um flashback com todo aquele lance do Funk Metal dos anos 90, mas o que eu ouvi foi música moderna, futurista e atemporal.

 

          Todos os caras tocam muito, muito mesmo. Presença de palco, carisma e a interação com o público foram perfeitas, tanto que o baixista Doug Wimbish desceu do palco e tocou no meio da galera. Uma bandeira brasileira e uma faixa de boas-vindas foram entregues por fãs ao sorridente vocalista Corey Glover. O guitarrista Vernon Reid mostrou que é bem humorado e falante com a platéia. O baterista Calhoun teve seu momento solo no escuro, usando baquetas com luzes e acompanhado com um beat eletrônico. Depois de uma pausa rápida para o bis, os quatro voltam com o clássico “Evis is Dead” com o vocalista puchando o coro em bom português: “Elvis está morto!” e fazendo um punhado de bebuns entrar numa roda de pogo desajeitada.

         

          O show termina com o vocalista desejando uma “bona noche e obrrigahdo!”. Passava das 3h e o povo ainda estava dando prejuízo no “bar aberto”. Ví uma movimentação no palco e fui averiguar. Doug Wimbish e Corey Glover voltaram para cumprimentar alguns fãs. Cheguei na hora em que Glover desceu do palco e tirou fotos com alguns afortunados (inclusive eu) e dando lição de humildade aos estrelas.

 

 PS: as fotos foram tirados do meu celular e ficaram ruins.

Próximo post: Especial Ferrock com Johnny Winter, Suffocation e Napalm Death.  Dessa vez levei minha máquina e tirei boas fotos e fiz uns videozinhos bacanas, inclusive do backstage. Aguardem!

Anúncios

2 Respostas to “FIM-DE-SEMANA FRENÉTICO! ESFOLANDO O LIVING COLOUR”

  1. É isso aí: show nota 10.

  2. Adalberto da Costa said

    Beleza, Evandro!
    Cara, manda uma resenha dos shows do Ferrock para o site do Cult 22, porque pelo que to vendo não vai rolar nenhuma por parte deles.
    Grande abraço.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: