ESFOLANDO O JUDAS PRIEST

setembro 17, 2011

Eu tinha minhas dúvidas se queria realmente ver esses shows, primeiro que nem curto muito as atrações e segundo o “investimento” no ingresso. Uma coisa eu sabia: as duas bandas são grandes nomes rock internacional e no caso do Judas Priest, a curiosidade em ver, mais que ouvir o espetáculo era um fator a ser considerado. Daí pintou aquela “credencial amiga” (valeu Herman e Wilsinho) e lá fui eu curtir um heavy metal roots.

A demora em colocar as mãos na pulserinha fez com que eu perdesse quase que o show inteiro do Whitesnake. Só ví as duas músicas finais, então é melhor eu não falar nada. Já do Judas…

Logo após o término do show da “Cobrabranca”, um enorme pano desce da estrutura do palco com a logomarca da última grande tour do Judas Priest entitulada “Epitaph”. Dava pra saber que atrás daquele pano, tinha um monte de gente correndo pra arrumar o cenário onde o Padre Judas se apresentaria. Deve ter demorado uns 30 minutos, depois começou uma música mecânica tipo orquestrada fazendo os metaleiros se agitarem. A música acaba e a banda começa a tocar, o pano cai e um monte de mãos fazendo chifrinho e máquinas fotográficas são levantadas. O cenário se revela com tudo o que um pedacinho cafona do inferno deve ter : panos de projeção, correntes, raio laser, fogo, fumaça e lógico, cinco sujeitos tocando rock pesado em bom volume.

Precisa dizer que o sexagenário vocalista Rob Halford é o que chama mais atenção? É, o cara tá nessa há mais de 40 anos não é a toa. A cada música que passa, Rob desfila um figurino diferente, cada modelito no melhor estilo metal-sadô-fashion. Até na bandeira do Brasil ele se enrolou, definitivamente o verde e amarelo não combinam muito com o seu visual, mas um pequeno trecho do hino nacional inserido num solo de guitarra ficou bacana.

Ir a um show do Judas Priest e não ficar pra ver Rob entrar de motoca no palco é um sacrilégio. Quem foi embora antes do fim do show em Brasília tem mais um motivo pra ficar puto consigo mesmo, deixou de ver o vocalista cair no palco com sua pesada Harley Davison. Tá, não foi um tabaco que merecece a manchete: ” acidente motorciclistico envolvendo astro do rock internacional”, mas foi um tombinho bacana, tipo cereja do bolo e que não fez Rob Halford perder a pose. Veja a filmagem que eu fiz dele caindo.

Pra quem gosta de heavy metal clássico, essa quinta-feira foi memorável, já pra quem não é lá muito fã, essa noite foi no mínimo interessante.

Anúncios

3 Respostas to “ESFOLANDO O JUDAS PRIEST”

  1. Wescley Os~ said

    e ae Evando
    Produz nosso som Aê…velho

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: