ESFOLANDO O PORÃO DO ROCK 2013

setembro 7, 2013

Mike Muir ROCK vsmax web
É humanamente impossível assistir 38 shows em dois dias. Ainda bem que o line up do Festival porão do Rock 2013 era variado e para todos os gostos. Daí selecionei os show imperdíveis (pro meu gosto) e passei o resto do tempo que estive no evento confraternizando com os amigos.
Na sexta-feira (30/08), cheguei no local bem no finzinho do show do Dead Fish, mas a tempo de ver o vocalista Rodrigo pular do palco pra área VIP e depois pular a grade pra cair nos braços de seus fãs na pista. Ele voltou para o palco com a camiseta rasgada.
Passado esse começo esdruxulo, comecei minha exploração pelo novo “Porão”. Sempre fico curioso em ver a configuração do espaço, com está a estrutura. Na hora me lembrei das primeiras edições do festival, antes de usarem o estacionamento e o ginásio do Nilson Nelson. Também foi a primeira vez que cheguei perto do “novo” Mané Garrincha. Acho que vai demorar pra eu colocar meus pés lá dentro, já que não assisto futebol e não gosto das atrações musicais que estão programadas nesse ano.
Ví um pedaço do show d’Os Maltrapilhos, representando bem o punk rock do DF. A expectativa eram as duas últimas bandas do palco “Pesado”. Primeiro a dupla paulista TEST. Já tinha visto os caras tocarem aqui duas vezes, então pra mim não foi surpresa saber que o show seria fudido. João Kombi e Barata destruindo um grind minimalista e sofisticado. Os dois fazem mais barulho do que muitas bandas com quatro ou cinco integrantes.

Pra fechar essa primeira noite, a banda americana Soulfly, que tem como líder, o brasileiro Max Cavallera. Ele lembrou que a última vez que tocou em Brasília foi em 1994 com o Sepultura e não deixou de tocar alguns clássicos de sua ex – banda. Comunicativo com a plátéia, Max não se ateve somente ao passado e apresentou músicas de todas as fazes do Soufly, inclusive algumas que estarão no próximo disco, que sai ainda esse ano. Gostei mais desse show, do que o de Goiânia que assisti no ano passado.
No sábado (31/08), cheguei na metade do show do Krisium. Não sei se foi impressão minha, mas achei que o som dos caras estava mais limpo. Não que estivesse menos brutal, só que mais audível. Tive essa mesma impressão no show do Galinha Preta que tocou na sequencia. Suspeito que o som estava tão bom, que faltou aquela sujeira boa dos amplificadores e equipamentos ruins que favorecem o som da banda. Acho que eles foram os únicos a usarem elementos de cenário, com seus dois bonecos de ar, estilo posto de gasolina, só que com esqueletos desenhados. O show foi bem curto, segundo o Frango, foi por causa do show de um gringo em outro palco.
O trio de Bragança Paulista Leptospirose também não foi surpresa, já sabia que era bom. Tinha visto um show deles com o TEST no finado Cult 22 Rock Bar e se não me engano, foi o Frango que tocou baixo pra eles nesse show. O som dos caras e´rapidaço e engraçado, com certeza agradou a massa que aguardava a última atração da noite.
O que falar do Suicidal Tendencies? Em minha reles opinião, a melhor banda em atividade. Sou muito fã a mais de 20 anos, então cada vez que vejo o show deles (esse foi o meu quinto) eu piro mesmo. Mike Muir, o original ST está em boa forma, percorrendo o grande palco de um lado a outro pelo menos, sem exagero, uma centena de vezes. Na hora de “Possessed to skate” chamou os skatistas que estavam na plateia pra subir no palco e uns 20 doidos subiraram também. Tiveram que descer quando a música acabou, mas isso era só uma prévia do que normalmente acontece na música final, onde a banda chama todo mundo pra subir no palco ao som de “Pledge your allegiance”. Final apoteótico pra fechar o festival.
Minha resenha do festival acaba aqui, mas se você quiser saber como foi a minha missão pra entregar um ROCK vs. COMICS na mão do Mike Muir, continue lendo!
Ainda tinha muita gente em cima do palco quando o show acabou, daí entreguei um gibi pro Paulão (que é da crew do Porão) pra ele entregar pra banda, caso eu não conseguisse. Eu já estava achando que não ia rolar, quando vejo o Raul Sá (um dos organizadores do PDR) indo pra entrada do back stage. Eu já tinha falado com ele sobre a possibilidade de fazer essa missão. Entramos bem na hora que fecham a porta da vam com os caras dentro. Pensei: “QUE MERDA!”. Enfiei um gibi pela janela e disse: “A comics for you, Mike!”. Só vi uma mão no escuro pegando e ouvi: “thanks!”. O Raul, pergunta pro motora se eles iam pro camarim. Afirmativo! Ainda havia esperança, então fomos pra lá. No caminho, a Karla pegou o bonde e foi junto. Entramos e esperamos uns minutos. O Gustavo Sá, explicou a situação pro empresário da banda e eu mostrei o gibi e a página que fiz sobre o show do ST ano passado na virada Cultural de São Paulo. O cara falou; “very good! You can wait?” Respondi : “Sure!”, claro que posso, né? Passaram mais uns minutos e vimos o batera e o baixista saírem do camarim e entrarem na van. Achei que ia ser tipo, quando ele também saísse do camarim eu ia entregar outro gibi, apertar a mão dele e pedir pra tirar uma foto. O que pra mim já estava de bom tamanho, mas o empresário deixou a gente entrar. O Marcelo Costa (Nomes Feios) foi junto. O primeiro que ví foi O Guitar Dean Pleasants, apertei a mão dele dizendo “Good Night!” depois cumprimentei Mike. O Gustavo foi explicando que eu queria entregar o gibi e tal. Entendi Mike dizendo que tinha recebido, mas não tinha olhado ainda, aí eu mostrei a página do ST e ele exclamou: “OH! It’s me!” e ficou olhando e me perguntou: “You did it? Nice!” Eu respodi algo do tipo: “Foi, é eu desenho todo mundo feio mesmo!” e ele riu alto. Pedi pra tirarmos umas fotos e a Karla e o Marcelo começaram a fotografar. O outro guitarrista, Nico Santora substituiu o Mike Clark chegou lá também. No final, ele ficou foleando o gibi e se amarrando, tentei explicar pra ele sobre o projeto, mas me enrolei todo. Acabei desistindo e falei: “Sorry for my bad english!” e ele emendou: “Sorry for my bad portuguese!” e rimos. Então, achei que estava na hora de partir e deixar os caras em paz. Agradeci mais uma vez e nos despedimos. Eles foram super gente fina, good vibe total. Nem precisa dizer que voltei pra casa felizão!

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

%d blogueiros gostam disto: