ESFOLANDO UM CURTA METRAGEM

fevereiro 6, 2010

Esses dias eu estava olhando o site do Cult 22, quando me deparo com um curta metragem que eu e o Phú participamos fazendo papel de roqueiro. Acho que isso tem uns 5 o 6 anos, eu nem me lembrava mais. O curta se chama “Diálogo” e foi dirigido por James Fensterseifer. É divertido! Assiste aê!

SEM PENA DO GALINHA PRETA

novembro 26, 2009

Cartaz do filme.

Só pode ter sido macumba ou praga de crente! Tirei uma onda escrota com essa parada do filme d’O Galinha Preta e meio que quebrei a cara. No domingo passado (22/11), o Cine Brasília estava cheio até a tampa, mó expectativa pra ver o filme e o filme não passou. Os produtores alegaram que não conseguiram terminar a parte do áudio. Com o anúncio do cancelamento da sessão, mais da metade da platéia deixou o cinema revoltada e não assistiram aos curtas. No lado de fora, vi boa parte do elenco do Galinha reunido tentando saber o que tinha acontecido, mas o estrago já estava feito. Algumas horas depois, surge a notícia de que o filme seria exibido na segunda-feira às 17h. Eu reconvidei alguns amigos, mas não dei garantia de que ele passaria realmente. Umas 200 pessoas vieram pra sessão, o que foi até bastante se considerarmos o dia e hora ruins. Eu já tinha visto duas versões do filme e sabia mais ou menos os defeitos e qualidades, as novidades foram as animações dos créditos iniciais e a trilha sonora mais encorpada (a música “Conto do Vigário” do Quebraqueixo toca nos créditos finais). Apesar do áudio apresentar problemas e as promessas da diretora Cibele Amaral em fazer alguns ajustes na narrativa, senti que o filme agradou quem assistiu. Foi feio pra caralho o filme não ter sido exibido no domingo e a sensação era de que O Galinha Preta perdeu o timing que estava rolando no Festival, mas pelo menos ele desentalou. Pra quem não viu, agora só em 2010 nos cinemas ou na feirinha del Paraguay mais perto de você!

 

ESFOLANDO O CINEMA NACIONAL

 Eu nunca fui muito de freqüentar o Festival de Brasília do Cinema Nacional, principalmente por não curtir muito os filmes brasileiros. Por conta do ataque planejado pela crew da Revista Samba e do Esfolando Empreendimentos de montar um camelô durante o evento, acabei indo a todos os dias do FBCB. No primeiro dia, eu, o LTG e o Gabriel Góes chegamos cedo pra garantir nosso lugar ao lado da bilheteria. Depois que nós arrumamos as mesas e colamos os cartazes, veio um tiozinho e seguranças para nos expulsar do local. Fizemos duas mudanças até descolarmos um lugar maneiríssimo no lounge da praça de alimentação. Durante os seis dias, nós perturbamos e fomos perturbados pelos freqüentadores. Quem deu uma força legal pro estande foi o Pedro das camisetas “Nem Um Nem Outro” e de vez em quando, Gabriel Mesquita aparecia antes de cair na cadência do samba. O saldo foi altamente positivo: rimos bastante, conhecemos várias gatas e colocamos algum dinheiro no bolso. Pra provar que somos chiques, saiu até nossa foto e entrevista no  Correio Braziliense.

 

 

ESTAMOS NO FESTIVAL DE CINEMA

novembro 19, 2009

Eu e o pessoal da Revista Samba estamos com um estande chique no Festival de Brasília do Cinema Brasileiro. Procure a gente na praça de alimentação e conheça nossos novos títulos de gibis e livros. Vou aproveitar e fazer propaganda dos filmes que estamos participando. O Lucas Gehre (LTG) trabalhou nos filmes Reticências” de Jackson Villela e “Verdadeiro ou Falso” de Jimi Figueiredo fazendo respectivamente a direção de arte e a cenografia. E tem aguardado longa-metragem “O Galinha Preta”, que é baseado no meu conto “Trabalho do Galinha Preta” que está presente no livro “Grosseria Refinada”. A direção é da Cibele Amaral, eu sou um dos roteiristas, fiz uma “ponta” no filme e o Quebraqueixo está na trilha (numa versão rap que ainda não ouvimos). O filme será exibido uma única vez e depois só em 2010 quando entrar em cartaz. Então tá todo mundo convidado pra assistir o filme no domingo (22/11) às 16:30 e é de graça. Para saber mais sobre a programação do festival visite o http://www.festbrasilia.com.br/

 

MEU CONTO VIROU CURTA

outubro 30, 2009

Só quem já publicou um livro de forma independente, sem editora e sem esquemas de marketing sabe o quanto dá trabalho e pouca recompensa. Se eu fosse pensar assim, nem teria começado a escrever meus livros e muito menos fazer um blog. A jogada é continuar fazendo, uma hora a recompensa vem, nem que seja recebendo um elogio por e-mail ou telefonema de alguém que acabou de ler um dos livros. O melhor é quando alguém te liga querendo utilizar um dos contos pra ser filmado. Em setembro eu recebi um desses telefonemas, era o Luis Derek me pedindo autorização pra filmar o conto “Último Autógrafo” presente no livro “Grosseria Refinada”. Lógico que autorizei, quero que meus contos virem filmes, desenhos animados, HQs, games e parques temáticos. Nem me importei quando o Luis me disse que o curta teria só 1 minuto e que o roteiro seria apenas uma adaptação rápida do conto. Eu disse pra ele meter bronca e que se ficasse uma merda, foda-se, pelo menos ele tava fazendo alguma coisa. Ontem ele me mandou o link do curta, assisti como seu eu não tivesse nada haver com aquilo. Se você quer saber, eu achei que ficou bem bacana, destaque pra trilha sonora. Assiste aí!

Sobre o curta, o Luis me disse por e-mail que foi um trabalho universitário de um grupo de alunos do 6º semestre do curso de Publicidade e Propaganda do IESB. O desafio era fazer uma adaptação literária em vídeo e que obrigatoriamente durassem exatos 60 segundos. O vídeo custou R$ 36,00. O filme todo foi feito em 2 semanas e foi gravado no Ilha Bela Park Hotel, no Núcleo Bandeirante. O “Último Autógrafo” foi mandado em uma versão diferente da do Youtube, de enxutos 60 segundos para o Festival do Minuto. Vai concorrer na categoria “Tema Livre”. Fico na torcida!

MEDO(S) DO ESCURO

setembro 17, 2009

fear of

Essa dica é do atirador de facas Biu, que me passou um DVD piratex da animação Fear(s) 0f The Dark. Muito foda! São 6 pequenos filmes em P&B, com estéticas diferenciadas. O nome mais conhecido entre os diretores é o do quadrinista Charles Burns. Quem conhece as HQs do cara, sabe o quanto ele é escroto. A animação foi bem fiel ao seu traço estiloso e inconfundível. As outras animações não ficam atrás. Se você tem medo do escuro, assista de dia!

O FILME DO GALINHA PRETA

agosto 31, 2009

O elenco na cena do puteiro.

O elenco na cena do puteiro.

Recentemente, tive a oportunidade de ver o filme “O Galinha Preta” em uma tela grande. O filme não tem nada haver com a banda Galinha Preta, apesar de eles fazerem uma ponta numa cena de elevador. O filme é uma adaptação do meu conto “Trabalho do Galinha Preta”, que foi premiado por um concurso literário do SESC e está presente no meu livro “Grosseria Refinada”.  Desde 2004 que eu entrei em contato com a cineasta Cibele Amaral e começamos a trabalhar no roteiro, que a princípio seria um curta metragem. Por ser uma produção cara, a diretora optou por transformá-lo em um longa e nessa parte do processo eu quase não participei. Só dei uma mexida no roteiro, um pouco antes do início das filmagens que rolaram no Conic e em Brazlândia.

Dojão laranja capotado por duble profissional no eixão.

Dojão laranja capotado por duble profissional no eixão.

O filme ainda não está pronto, faltam algumas alterações e parte da trilha, mas a reação das quase 200 pessoas que assistiram foi muito boa. Os expectadores riram bastante das aventuras dos bandidos Galinha Preta e Lapão, interpretados por Alexandre Carlo (vocal do Natiruts) e do famigerado DJ Montana. No elenco ainda estão o Jovane Nunes (Melhores do Mundo e Zorra total) e o cantor brega Falcão. Eu fiz umas figurações nas cenas do puteiro, o que foi bem divertido. No fim da sessão, houve bate-papo entre os expectadores e a diretora, o que deixou bem claro que o filme está bem encaminhado

O “Setor de Diversões Sul” está menos divertido, a polícia fechou o Cine Ritz no dia 8 de julho. Parece que um punheteiro insatisfeito fez a denúncia de que ali rolava putaria não só na tela do cinema. A acusação era de que, além de produções pornográficas e shows eróticos com dançarinas, o Cine Ritz favorecia a prostituição. Grande novidade! Todo mundo sabia o que acontecia ali dentro, inclusive policiais fardados, que freqüentavam o local e entravam de graça. O brasiliense que tiver mais de 30 anos e disser que nunca pegou uma sessão dupla no Cine Ritz é mentiroso. Com a internet e DVDs, eu achei que o Cine Ritz fecharia um dia por falta de clientes, e não por falta de alvará. Pra mim, isso é coisa das igrejas evangélicas que querem higienizar o Conic e já estão de olho no antro pra transformá-lo em templo.

batdvd1

Só agora eu consegui colocar as mãos no Quarto Volume dos DVDs do Batman – The Animated Series. Foi uma espera de quase 3 anos desde que o terceiro volume foi lançado. A série durou de 1992 à 1995 e é considerada por muitos como um dos desenhos animados mais legais de todos os tempos e eu assino embaixo. Pena que a Warner brasileira sacaneou. Economizou umas merrecas e colocou nas prateleiras, uma embalagem inferior aos três volumes anteriores. A versão brasileira já era fraca comparada com a gringa, mas pelo menos vinha em uma embalagem de papelão contendo dois estojos de plásticos com dois DVDs cada. Os quatro discos desse quarto volume vieram socados dentro de um único box e enfiados em uma proteção simples de papelão. Foi a mesma safadeza que fizeram com o terceiro volume do Superman Animated Series. Procurando uma imagem no Google, achei a versão especial da série lançada na América em 2008. É pra chorar! Vou parar de reclamar e assistir, igual a quando eu via os episódios no SBT há uns 10 anos atrás.

bat dvd2

O BOM, O MAU E O FEIO

julho 2, 2009

200px-Good_the_Bad_the_Ugly_soundtrack

The Good, the Bad and the Ugly (Il Buono, il Brutto, il Cattivo) Clássico bang bang spaghettii dirigido por Sergio Leone, estrelado por Clint Eastwood, Lee Van Cleef e Eli Wallach. Três homens em conflito com trilha sonora de Ennio Morricone. Interpretado pela Ukulele Orchestra of GB. Essa é pra ficar o dia inteiro assoviando.

IRàANIMADO

junho 22, 2009

persepolis

Demorou, mas chegou! O dvd do desenho animado Persépolis (2007), que concorreu ao Oscar de melhor animação de 2008, finalmente saiu no Brasil. O dvd duplo é baseado nos quadrinhos autobiográficos de Marjane Satrapi. É a história de uma menina iraniana crescendo em um país repressor e em constante estado de guerra. Aqui também se aplica a velha máxima de que o livro é melhor que o filme, no caso, a HQ é muito superior à animação 2D, mas ambos são divertidos. Recentemente, a autora e diretora Marjane Satrapi fez duras críticas sobre a suposta fraude eleitoral no Irã. Além do best- seller “Persépolis”, também está disponível no Brasil a graphic novel “Frango com Ameixas”.  São dela também, as ilustrações do novo álbum de Iggy Pop.

perse2